Críticas ao filme

Durante o tempo em que A loucura entre nós participou de sessões especiais e de festivais de cinema ao redor do mundo, antes da estreia que acontece agora, gerou críticas e comentários de jornalistas, psicanalistas e do público que pôde conferir o documentário dirigido por Fernanda Fontes Vareille. Dividimos aqui algumas delas:

“(…) o festival ainda serviu de palco para a estreia mundial de um documentário lindíssimo que, espero, ganhará logo as telas do mundo: A Loucura Entre Nós, de Fernanda Vareille. Ao sair da sessão profundamente comovido com o que havia visto, comentei no Twitter que o filme era complexo a ponto de permitir o riso diante de seus personagens ao mesmo tempo em que nos levava a lamentar suas dores. E, de fato, além de servir como reflexão importante sobre o sistema manicomial brasileiro (dialogando, neste ponto, com o clássico Em Nome da Razão, de Helvécio Ratton), o documentário de Vareille questiona o próprio conceito de “loucura” ao apontar acertadamente que muito de nosso tratamento desumano com relação aos que rotulamos como “insanos” tem a ver com nossos próprios medos diante deste mesmo rótulo.”Pablo Villaça: Escritor, crítico de cinema  e diretor do Cinema em Cena.

“Um filme abissal! Sem placas de sinalização”. – Dra. Fernanda Otoni – Psicanalista da Escola Brasileira de Psicanálise e coordenadora do programa PAI-PJ em Minas Geras.

“Os caminhos pelos quais a narrativa do documentário A Loucura entre Nós percorre são tão impressionantes, que até mesmo a cineasta Fernanda Vareille não tinha como prever o que aconteceria às suas personagens. (…) Com momentos de pura poesia – a cena com a canção “Lágrimas Negras”, cantada por Gal Costa, é agridoce e intensa – A Loucura entre Nós é um documentário de rara sensibilidade, tocando em um assunto que, para muitos, é motivo de vergonha ou de descaso, mostrando o quanto é necessário tocar neste tema. O filme até pode demorar a deslanchar, mas quando o faz, é intenso e verdadeiramente impressionante.”Rodrigo de Oliveira: crítico de cinema, membro da ACCIRS – Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul e editor do blog Paradoxo.

“Perturbador, raro e essencial”. – Dr. Marcus André Vieira – Doutor em psicanálise e Mestre em Diplôme D’études Approfondies en Psychanalyse. Psicanalista da Escola Brasileira de Psicanálise, professor da PUC-Rio.

“Clarice Lispector diria que A Loucura Entre Nós (Fernanda Fontes Vareille; 2015) é um soco no estômago. (…) Questiona o nosso pertencimento em uma sociedade que exclui, que determina normalidades, que separa o que deve estar do lado de dentro e do lado de fora. Nosso olhar pelo buraco da fechadura nos coloca como parte dessa sociedade, que não quer penetrar no espaço habitado pelos pacientes do Criamundo. A loucura pode estar entre nós. Afinal, qual é o lado de dentro e o lado de fora dessa fechadura do mundo?” –  Aline Vaz: Especialista em Cinema, escreve para o Portal A Escotilha.

“O filme se desenrola de tal forma que você pode ser movido por cada momento – há um espectro de humor, desgosto e comentário crítico. Nem uma única vez ele é excessivamente fixado na doença mental de uma pessoa como o principal ponto de inspeção. Tornamo-nos mais movidos para onde os diferentes entrevistados desejam levar-nos. (…) Fiquei comovida por ver este documentário e recomendo tentar rastreá-lo!Nana Heed, para o Vancouver Latin American Film Festival.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s