Dia Mundial da Saúde Mental

corredor

O Dia Mundial da Saúde Mental é lembrado em todo o mundo no dia 10 de outubro, quando organizações ligadas à saúde mental e aos diretos humanos se unem para dar visibilidade a questões relevantes ao setor. Em 2016, o tema proposto pela Federação Mundial de Saúde Mental (World Federation for Mental Health) para ser divulgado é “Primeiros Cuidados Psicológicos” (Psychological First Aid), como forma de abrir a discussão para o apoio básico – e pragmático – que pessoas em um papel de auxílio podem dar a quem se encontra em sofrimento mental.

Apesar do nome, que em português também poderia ser traduzido por “primeiros socorros psicológicos”, a questão abrange tanto apoio psicológico quanto social. Na verdade, o investimento em primeiros socorros psicológicos é parte de um esforço de longo prazo para garantir que qualquer pessoa em sofrimento agudo devido a uma crise seja capaz de receber suporte básico, e que aqueles que precisam mais do que os primeiros socorros psicológicos receba suporte avançado adicional de saúde, saúde mental e serviços sociais.

Entre as diversas ações programadas pela Federação Mundial de Saúde Mental esse ano, foi criado um guia para trabalhadores de campo, principalmente para ser acessado por pessoas (profissionais de saúde, professores, bombeiros, agentes comunitários ou policiais) que estão em contato com aqueles que passaram por algum tipo de evento causador de estresse crítico, como desastres naturais, guerras ou acidentes. A ideia é levar ao conhecimento público (e não apenas às instituições prestadoras de cuidados e serviços de saúde mental públicos, privados e do setor social) o trabalho realizado em torno de múltiplos eixos estratégicos que envolvem questões da saúde mental.

O guia é disponibilizado em diversas línguas e possui uma edição em português produzida pela Organização Pan-Americana da Saúde. As orientações contidas nele incluem dicas de como abordar uma pessoa em sofrimento mental. Entre as mensagens transmitidas, estão:

*Seja sempre honesto e confiável com quem você aborda;
*Comporte-se adequadamente de acordo com a cultura, idade e gênero da pessoa abordada;
*Tenha consciência de que é direito de cada pessoa tomar as suas próprias decisões;
*Deixe claro para as pessoas que, mesmo se elas recusarem ajuda agora, poderão ainda acessar a ajuda no futuro;
*Não pressione para que alguém em sofrimento conte a sua história ou interrompa quando ela o faz;
*Não faça falsas promessas ou dê falsas garantias;
*Não tire da pessoa a força ou o sentimento de que ela é capaz de cuidar de si mesma.

Entre inúmeros avanços e alguns retrocessos, as questões referentes à saúde mental estão longe de alcançar o patamar ideal de investimentos e de representatividade na maioria das sociedades, apesar do esforço de profissionais brilhantes que não se deixam abater diante das dificuldades e tabus envolvendo o tema.

Aqui no blog do filme A loucura entre nós, muitos desses profissionais contribuíram na criação de um rico material de pesquisa, através de depoimentos que refletem sua vasta experiência na área. Então, neste dia 10 de outubro, sugerimos um mergulho em todo esse conteúdo exclusivo, criado para qualquer pessoa interessada em ampliar o diálogo sobre a loucura a partir das questões exploradas no filme, relacionando-as com o universo da Psicanálise. Boa pesquisa!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s